Páginas

pergunta:

"Até quando vamos ter que agüentar a apropriação da idéia de 'liberdade de imprensa', de 'liberdade de expressão', pelos proprietários da grande mídia mercantil – os Frias, os Marinhos, os Mesquitas, os Civitas -, que as definem como sua liberdade de dizer o que acham e de designar quem ocupa os espaços escritos, falados e vistos, para reproduzir o mesmo discurso, o pensamento único dos monopólios privados?"

Emir Sader

20.4.17

CALMON: OS SÉRGIOS MOROS SURGEM DE MENTIRINHA

Bahia 247 - Ex-corregedora do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), a ministra aposentada do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Eliana Calmon disse em entrevista à rádio Metrópole que "existe uma forte hipocrisia no meio político e na sociedade", ao comentar que os esquemas de corrupção como o da Odebrecht tiveram aval de "parte do Poder Judiciário".

"Os 'Sérgios Moros' da vida surgem de mentirinha. [...] As empresas foram sendo compardas pela Odebrecht, e isso foi passando pelo Judiciário de uma forma incólume, sem ninguém ter visto. Será que nada disso passou pelo Judiciário, ninguém foi capaz de barrar uma licitação? Baseada nisso, digo que o Judiciário teve uma participação. Depois da Constituição de 1988, não se pode fazer nada sem o aval do Judiciário. Muita coisa virá à tona, porque quase tudo passou pelo Judiciário. Nesse momento, não estamos questionando partidos políticos, porque todos fizeram aquilo que não poderia ser feito", afirmou a jurista baiana.

Candidata derrotada ao Senado nas eleições de 2016, Calmon afirma que "é praticamente fazer campanha sem corrupção" no Brasil.

"Os fatos não surpreenderam ninguém, principalmente eu que estive na política. Compreendi que pelas regras do jogo é impossível fazer política sem corrupção. As campanhas são milionárias e o mercado já está viciado. As empresas financiavam as campanhas. [...] Tanto é que quase todo político é rico", afirmou a ministra.


http://www.brasil247.com/pt/247/bahia247/291212



Nenhum comentário:

Cancion con todos

Salgo a caminar
Por la cintura cosmica del sur
Piso en la region
Mas vegetal del viento y de la luz
Siento al caminar
Toda la piel de america en mi piel
Y anda en mi sangre un rio
Que libera en mi voz su caudal.

Sol de alto peru
Rostro bolivia estaño y soledad
Un verde brasil
Besa mi chile cobre y mineral
Subo desde el sur
Hacia la entraña america y total
Pura raiz de un grito
Destinado a crecer y a estallar.

Todas las voces todas
Todas las manos todas
Toda la sangre puede
Ser cancion en el viento
Canta conmigo canta
Hermano americano
Libera tu esperanza
Con un grito en la voz