Páginas

pergunta:

"Até quando vamos ter que agüentar a apropriação da idéia de 'liberdade de imprensa', de 'liberdade de expressão', pelos proprietários da grande mídia mercantil – os Frias, os Marinhos, os Mesquitas, os Civitas -, que as definem como sua liberdade de dizer o que acham e de designar quem ocupa os espaços escritos, falados e vistos, para reproduzir o mesmo discurso, o pensamento único dos monopólios privados?"

Emir Sader

30.9.14

Marx se une a proletários do século 21 em minissérie argentina

30/set/2014, 13h01min

Marx se une a proletários do século 21 em minissérie argentina


Fragmento do episódio "Marx voltou"| Foto: Opera mundi/Reprodução

Fragmento do episódio "Marx voltou"| Foto: Opera mundi/Reprodução

Da Revista Samuel

Um rapaz entra em um bar e senta-se no balcão. Leva um susto ao ver um homem de barba branca, tomando cerveja. "O que foi? Nunca viu Marx? Voltei para a Terra porque muito se fala sobre as minhas ideias, porém as estão desvirtuando…"

A cena é uma das viagens entre o passado e o presente que fazem parte da minissérie argentina "Marx voltou". Trata-se de uma criação do coletivo audiovisual Contraimagen e do Instituto de Pensamento Socialista (IPS). Já foram gravados quatro capítulos com duração de 15 minutos cada um, e o quinto será publicado em breve. Desde o lançamento, os episódios já foram vistos por mais de 300 mil pessoas no YouTube, além de circular em universidades, centros culturais e partidos políticos na Argentina.

"Burgueses e proletários""O mercado e as crises capitalistas", "O Estado e a revolução" e "O comunismo" são os títulos dos quatro episódios, protagonizados pelo ator Carlos Weber, que já interpretou o filósofo alemão na montagem argentina da peça "Marx no Soho", do historiador e dramaturgo norte-americano Howard Zinn. As ideias de Marx são expostas na minissérie com a ajuda de filmes antigos, achados audiovisuais na internet e animações, entre outros recursos.

"Quando lançamos a série, alguém postou o seguinte comentário na internet: 'É um produto inclassificável, porém muito bom'. Se você assistir como ficção, ela conta a história de um rapaz lutando pelos colegas que foram demitidos. E você pode nem se dar conta da transmissão das ideias marxistas. Nós misturamos essa história com ideias didáticas sem perder o eixo narrativo-ficcional", disse Javier Gabino, responsável pela direção e montagem dos vídeos. A minissérie está ambientada nos dias de hoje, no contexto de uma gráfica que começa a suspender e demitir seus funcionários. Martín (Martín Scarfi), um dos operários e protagonista da história, lê o "O manifesto comunista" e acaba se encontrando com Marx. Dessa forma, os episódios começam a mostrar, pela voz do autor de "O Capital", as ideias revolucionárias sobre classes sociais, as crises, o Estado e o comunismo.

"É impressionante a atualidade das ideias de Marx mundialmente, a partir da crise capitalista de 2008. São temas muito atuais e ainda mais pelo que se conhece por sindicalismo de base. Os que mais se interessaram foram parte de uma nova classe que procura novas respostas na Argentina. Nos últimos anos, a esquerda teve um avanço político e social bastante amplo", acrescentou Gabino.

http://www.sul21.com.br/jornal/marx-se-une-a-proletarios-do-seculo-21-em-minisserie-argentina/


17 anos depois...

17 anos depois, repórter da Folha reconta história da compra de votos para reeleição de FHC

Postado em 17 de junho de 2014 às 6:17 am

O jornalista da Folha que investigou a compra de votos no Congresso para que FHC pudesse se reeleger, Fernando Rodrigues, voltou hoje ao assunto em seu blog, diante da "troca de chumbo" entre Lula e FHC a respeito.

Trechos:

"O mais importante a respeito desse episódio de 1997 é que nada foi investigado como deveria. Dessa forma, restam apenas os fatos em torno da revelação do fato –trata-se de fato, pois houve provas materiais periciadas a respeito.

Uma cronologia dos acontecimentos:

1) 28.janeiro.1997 – a Câmara aprova a emenda constitucional da reeleição: dispositivo passa a permitir que prefeitos, governadores e presidente disputem um segundo mandato consecutivo.

2) 13.maio.1997: Folha publica reportagem da compra de votos para aprovação da emenda da reeleição. Manchete no alto da primeira página, em duas linhas: "Deputado conta que votou pela reeleição por R$ 200 mil".

3) O que disse FHC, então presidente da República: sempre negou o esquema. Dez anos depois, em sabatina na Folha, em 2007, o tucano não negou que tenha ocorrido a compra de votos. Alegou que a operação não foi comandada pelo governo federal nem pelo PSDB.

4) Provas: confissão gravada de 2 deputados federais do Acre que diziam ter votado a favor da emenda da reeleição em troca de R$ 200 mil recebidos em dinheiro. Outros três deputados eram citados de maneira explícita e dezenas de congressistas teriam participado do esquema. Nenhum foi investigado pelo Congresso nem punido.

5) CPI: PT e partidos de oposição tentam aprovar requerimento de CPI. Sem sucesso.

6) Operação abafa 1: em 21.maio.1997, apenas 8 dias depois de o caso ter sido publicado pela Folha, os dois deputados gravados renunciam ao mandato (Ronivon Santiago e João Maia, ambos eleitos pelo PFL –hoje DEM– do Acre). Eles enviaram ofícios idênticos ao então presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP). Reportagem de 21.maio.1997 relata procedimentos utilizados na reportagem sobre a compra de votos.

7) Operação abafa 2: em 22.maio.1997, só 9 dias depois de a Folha ter revelado o caso, tomam posse como ministros Eliseu Padilha (Transportes) e Iris Rezende (Justiça). Ambos eram do PMDB, partido que mais ajudou a impedir a instalação da CPI para apurar a compra de votos.

8) Operação abafa 3: apesar da fartura de provas documentais, o então procurador-geral da República, Geraldo Brindeiro, não acolhe nenhuma representação que pedia a ele o envio de uma denúncia ao Supremo Tribunal Federal.

Em 27.junho.1997, indicado por FHC, Geraldo Brindeiro toma posse para iniciar o seu segundo mandato como procurador-geral da República. Sempre reconduzido por FHC, Brindeiro ficou oito anos na função, de julho de 1995 a junho de 2003.

9) Fim do caso: em junho de 1997, o Senado aprova, em segundo turno, a emenda da reeleição, que é promulgada. No ano seguinte, FHC se candidata a mais um mandato e é reeleito.

A Polícia Federal não investigou? De maneira quase surrealista, sim. O repórter responsável pela reportagem foi intimado a dizer o que sabia a respeito do caso em… 4 de junho de 2001. O inquérito era apenas protocolar. Não deu em absolutamente nada."


http://www.diariodocentrodomundo.com.br/essencial/17-anos-depois-reporter-da-folha-reconta-historia-da-compra-de-votos-para-reeleicao-de-fhc/


SEM ÉTICA, BARBOSA TEM REGISTRO NEGADO PELA OAB


:

Ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa teve seu registro de advogado negado pela seccional da Ordem dos Advogados do Brasil, do Distrito Federal; presidente da entidade, Ibaneis Rocha alegou que ele feriu a ética profissional quando exerceu a magistratura; durante seu estrelato, Barbosa ofendeu advogados e fez até com que o defensor de José Genoino, Luiz Fernando Pacheco, fosse retirado do plenário do STF por seguranças da casa – fato inédito na história do Judiciário; agora, veio o troco; leia a íntegra do despacho do presidente da OAB-DF

30 DE SETEMBRO DE 2014 ÀS 13:50

247 – O ex-presidente do STF Joaquim Barbosa colheu nesta segunda-feira 30, na seção do Distrito Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, uma parte do que semeou no exercício do cargo. Ele teve seu pedido de registro profissional como advogado recusado pela OAB-DF, sob a justificativa, registrada pelo presidente da entidade, Ibaneis Rocha, de ter "ferido a ética profissional".

Barbosa destratou dois advogados, Maurício Corrêa, já falecido, e José Gerardo Grossi, durante seu período como ministro do Supremo. A OAB, em cada uma das ocasiões, realizou atos de desagravo aos profissionais.

Em junho, durante uma de suas últimas sessões no STF e numa cena que foi transmitida ao vivo pela TV Justiça, Barbosa mandou que seguranças retirassem da corte o advogado Luiz Fernando Pacheco, que defende o ex-presidente do PT José Genoíno. O gesto despertou indignação em diferentes setores da Justiça.

Agora, Barbosa terá de recorrer à comissão de seleção da OAB se quiser pertencer à classe que, nitidamente, não o quer. Ele foi comunicado do indeferimento de seu pedido nesta segunda 30.

Barbosa também pode recorrer à Justiça para ter direito ao registro da Ordem. Ele é formado em Direito e antes de ser ministro do STF era procurador da República concursado. O problema é o risco de ser humilhado novamente, com outras recusas.

Leia, abaixo, a íntegra do despacho do presidente da OAB-DF:

EXCELENTÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DA COMISSÃO DE SELEÇÃO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL, CONSELHO SECCIONAL DO DISTRITO FEDERAL

"O desapreço do Excelentíssimo Sr. Ministro Presidente do Supremo Tribunal Federal pela advocacia já foi externado diversas vezes e é de conhecimento público e notório."
Márcio Thomaz Bastos, Membro Honorário Vitalício do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, por ocasião do desagravo realizado em 10.06.2014 de que foi o orador.

IBANEIS ROCHA BARROS JUNIOR, brasileiro, casado, advogado inscrito na OAB/DF sob o n.º 11.555, vem à presença de V. Exa. propor IMPUGNAÇÃO ao pedido de inscrição originária formulado pelo Sr. Ministro aposentado JOAQUIM BENEDITO BARBOSA GOMES, constante do Edital de Inscrição de 19 de setembro de 2014, pelos fatos a seguir aduzidos.

Em 23 de novembro de 2006 o Requerente, na condição de Ministro do Supremo Tribunal Federal, atacou a honra de Membro Honorário desta Seccional, o advogado Maurício Corrêa, a quem imputou a prática do crime previsto no art. 332 do Código Penal, verbis : "Se o ex-presidente desta Casa, Ministro Maurício Corrêa não é o advogado da causa, então, trata-se de um caso de tráfico de influência que precisa ser apurado", o que resultou na concessão de desagravo público pelo Conselho Seccional da OAB-DF (Protocolo nº 06127/2006, cópia em anexo).
Quando o Requerente ocupou a Presidência do Conselho Nacional de Justiça e do Supremo Tribunal Federal seus atos e suas declarações contra a classe dos advogados subiram de tom e ganharam grande repercussão nacional. Vejamos, segundo o clipping em anexo:

a)​Em 19 de março de 2013, durante sessão do CNJ, generalizou suas críticas afirmando a existência de "conluio" entre advogados e juízes, verbis: "Há muitos [juízes] para colocar para fora. Esse conluio entre juízes e advogados é o que há de mais pernicioso. Nós sabemos que há decisões graciosas, condescendentes, absolutamente fora das regras", o que resultou em manifestação conjunta do Conselho Federal da OAB, da Associação dos Juízes Federais (Ajufe) e Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB);

b)​Em 08 de abril de 2013, sobre a criação de novos Tribunais Regionais Federais aprovada pela Proposta de Emenda Constituição nº 544, de 2002, apoiada institucionalmente pela Ordem dos Advogados do Brasil, afirmou o seguinte: "Os Tribunais vão servir para dar emprego para advogados..."; "e vão ser criados em resorts, em alguma grande praia..."; "foi uma negociação na surdina, sorrateira"; o que redundou em nota oficial à imprensa aprovada à unanimidade pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil;

c)​Em 14 de maio de 2013, também em sessão do CNJ, o então Ministro-Presidente afirmou, em tom jocoso, que: "Mas a maioria dos advogados não acorda lá pelas 11h mesmo?" e "A Constituição não outorga direito absoluto a nenhuma categoria. Essa norma fere o dispositivo legal, ou são os advogados que gozam de direito absoluto no país?", o que foi firmemente repudiado por diversas entidades da advocacia, notadamente pelo Instituto dos Advogados de São Paulo, pelo Movimento de Defesa da Advocacia, pela Associação dos Advogados de São Paulo e pela Diretoria do Conselho Federal da OAB;

d)​Em 11 de março de 2014 o Requerente votou vencido no Conselho Nacional de Justiça contra a isenção de despesas relativas à manutenção das salas dos advogados nos fóruns. Na oportunidade, criticou duramente a Ordem dos Advogados: "Precisa separar o público do privado. Que pague proporcionalmente pela ocupação dos espaços. Não ter essa postura ambígua de ora é entidade de caráter público, para receber dinheiro público, ora atua como entidade privada cuida dos seus próprios interesses e não presta contas a ninguém. Quem não presta contas não deve receber nenhum tipo de vantagem pública"; o que também resultou em nota da Diretoria do Conselho Federal da OAB; e,

e)​Em 11 de junho de 2014, numa das últimas sessões do Supremo Tribunal Federal que presidiu, o Requerente "expulsou da tribuna do tribunal e pôs para fora da sessão mediante coação por seguranças o advogado Luiz Fernando Pacheco, que apresentava uma questão de ordem, no limite de sua atuação profissional, nos termos da Lei 8.906", conforme nota de repúdio subscrita pela diretoria do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil.

Por fim, em 10 de junho de 2014, este Conselho Seccional da Ordem dos Advogados do Brasil no Distrito Federal concedeu novo desagravo público, desta feita ao advogado José Gerardo Grossi, atingido em suas prerrogativas profissionais pelo então Min. Joaquim Barbosa em decisão judicial assim lançada: "No caso sob exame, além do mais, é lícito vislumbrar na oferta de trabalho em causa mera action de complaisance entre copains, absolutamente incompatível com a execução de uma sentença penal. (...) É de se indagar: o direito de punir indivíduos devidamente condenados pela prática de crimes, que é uma prerrogativa típica de Estado, compatibiliza-se com esse inaceitável trade-off entre proprietários de escritórios de advocacia criminal? Harmoniza-se tudo isso com o interesse público, com o direito da sociedade de ver os condenados cumprirem rigorosamente as penas que lhes foram impostas? O exercício da advocacia é atividade nobre, revestida de inúmeras prerrogativas. Não se presta a arranjos visivelmente voltados a contornar a necessidade e o dever de observância estrita das leis e das decisões da Justiça" (Processo nº 07.0000.2014.012285-2, cópia em anexo).

Diante disso, venho pela presente apresentar impugnação ao pedido de inscrição originária formulado pelo Sr. Ministro aposentado JOAQUIM BENEDITO BARBOSA GOMES, constante do Edital de Inscrição de 19 de setembro de 2014, pugnando pelo indeferimento de seu pleito, que não atende aos ditames do art. 8º da Lei nº 8.906/94 (Estatuto da Advocacia e OAB), notadamente a seu inciso VI, pelos fundamentos já expostos.

Nestes Termos,
Pede Deferimento.

Brasília/DF, 26 de setembro de 2014.

IBANEIS ROCHA BARROS JUNIOR
OAB/DF n.º 11.5554 


http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/155277/Sem-%C3%A9tica-Barbosa-tem-registro-negado-pela-OAB.htm


Eleições no RS: a política contra a manipulação midiática

30/09/2014 - Copyleft

Eleições no RS: a política contra a manipulação midiática

O RS vive uma disputa explícita da política contra a negação da política. O resultado desse embate tem muito a dizer sobre o futuro da democracia no Brasil


Vinicius Wu

Arquivo







As eleições no Rio Grande do Sul podem ser percebidas como uma dramática síntese da politica brasileira dos últimos anos. Os dois principais oponentes do PT na disputa ao Governo e ao Senado são ex-jornalistas do principal grupo de comunicação do estado. Dois personagens forjados no ambiente da desconstituição da política e da deslegitimação dos partidos, habituados a tecerem críticas diárias à ação do Estado, muitas vezes, influenciadas por contratos de publicidade. É uma disputa singular e explícita da política contra a negação da política. O resultado desse embate tem muito a dizer sobre o futuro da democracia no Brasil.

O atual governo gaúcho sofreu, ao longo dos últimos três anos e meio, um verdadeiro bloqueio informativo, que buscou minimizar – ou mesmo omitir – resultados obtidos pelas políticas públicas desenvolvidas no estado. E, por diversas vezes, os veículos de comunicação que compõem o grupo de onde emergiram os candidatos Ana Amélia Lemos e Lasier Martins foram muito além da omissão, desencadeando uma verdadeira guerra ideológica no combate a iniciativas como a retomada do controle público das rodovias gaúchas, realizada pelo Governo Tarso Genro. Ao mesmo tempo, através de seus jornais, rádios e TVs, agudizaram um tipo de abordagem jornalística que incentiva a criminalização da política, a exemplo do que ocorre no plano nacional.

Mas, apesar de todo o bloqueio e das adversidades enfrentadas pela atual administração – em grande medida, herdadas do governo anterior, que contou com o apoio do mesmo grupo de comunicação – o Governo Tarso Genro logrou alcançar resultados importantes, que justificam seus atuais índices de aprovação.

Em seus três anos e nove meses de gestão, a renda média das famílias do Rio Grande do Sul avançou, segundo o Pnad (IBGE), e o estado registra o menor índice de desemprego dos últimos doze anos. Pela primeira vez no Brasil, um estado da Federação consegue aplicar 12% de sua receita líquida na área da Saúde. Na Educação, segundo o Ideb, que mede a performance do ensino público, o Rio Grande do Sul saltou da 10ª colocação no ranking da educação básica, em 2010, para o 2º lugar em 2014.

O Governo Tarso criou o maior programa de microcrédito do país, que já concedeu mais de R$ 430 milhões em financiamentos e implementou – em parceria com o governo federal – o maior programa de formação profissional da história do estado. A economia gaúcha apresenta números superiores ao restante do país, tendo registrado um crescimento de 6,3% em 2013. Desde 2011, já foram captados mais de R$ 50 bilhões em investimentos privados, contribuindo para o aquecimento do emprego e da renda no estado.

Tarso tem seu desempenho como governador aprovado por 50% da população gaúcha, segundo o Instituto Ibope; seu governo é considerado bom e/ou ótimo por 33% dos eleitores, 23% consideram o governo ruim e/ou péssimo,  índices muito próximos aos registrados pela Presidenta Dilma Rousseff em todo o país.

A última semana de campanha no Rio Grande do Sul começa em meio a uma importante alteração no quadro eleitoral, registrado pelas sondagens mais recentes dos Institutos de pesquisa. Os dois principais candidatos ao governo encontram-se empatados, com 31% das intenções de voto, segundo o Instituto Datafolha. Os últimos dias, portanto, definirão qual será o ambiente politico para uma eventual disputa em segundo turno.

A campanha petista – a única a defender o projeto nacional representado pela Presidenta Dilma – tem crescido nas últimas semanas, após Tarso licenciar-se do cargo de Governador. O aumento da ênfase na apresentação dos resultados obtidos pela parceria entre os governos federal e estadual tem sido um importante vetor do crescimento de Tarso e será acentuado em um eventual segundo turno, já que sua principal adversária sinaliza apoio a Marina Silva, caso a candidata do PSB dispute com Dilma o segundo turno.

Tarso, Olívio e o PT no Rio Grande do Sul estão diante de uma disputa difícil, complexa e cujo significado vai além da mera disputa pelo Governo local e pela representação do estado no Senado Federal.

A vitória de Ana Amélia e Lasier seria uma vitória da aversão à política, da manipulação da informação e do descrédito das instituições democráticas e republicanas. Por outro lado, o êxito eleitoral de Tarso e Olívio pode contribuir, sobremaneira, para que a esquerda avance sobre um conjunto de temas decisivos para o aprofundamento do processo democrático no Brasil, tais como a reforma política, a democratização dos meios de comunicação e o restabelecimento do dialogo permanente com os movimentos sociais. E, ao que tudo indica, teremos uma acirrada disputa até o último minuto de votação.

 

(*) Historiador, Secretário Geral do Governo do Rio Grande do Sul

Créditos da foto: Arquivo



http://www.cartamaior.com.br/?%2FEditoria%2FPolitica%2FEleicoes-no-RS-a-politica-contra-a-manipulacao-midiatica%2F4%2F31905

TVE promove série de entrevistas com candidatos ao governo do RS

TVE promove série de entrevistas com candidatos ao governo do RS

29/09/2014

Dando continuidade à cobertura das Eleições 2014, a partir desta segunda-feira, 29/9, o Jornal TVE 2ª Edição, às 19h30, inicia uma série de entrevistas com os candidatos ao governo do Rio Grande do Sul.

Serão transmitidas duas entrevistas por dia, de segunda a quarta, e, na quinta, apenas uma. Cada entrevista terá cinco minutos de duração, com condução do jornalista e apresentador Leandro Olegário. As entrevistas foram gravadas previamente e serão exibidas em ordem alfabética.

Confira as datas das entrevistas

Segunda-feira, 29/9:

Ana Amélia Lemos (PP) – Coligação Esperança que Une o Rio Grande – PP / PRB / PSDB / Solidariedade

Edison Estivalete Bihalva (PRTB)

Terça-feira, 30/9:

Humberto Carvalho (PCB)

Ivo Sartori (PMDB) O Novo Caminho para o Rio Grande – PMDB / PSD / PPS / PSB / PHS / PT do B / PSL / PSDC

Quarta-feira, 1º/10:

Roberto Robaina (PSOL) – Frente de Esquerda – PSOL / PSTU

Tarso Genro (PT) – Unidade Popular pelo Rio Grande – PT / PTC / PC do B / PROS / PPL / PTB / PR

Quinta-feira, 2/10:

Vieira da Cunha (PDT) – O Rio Grande Merece Mais – PDT / PSC / DEM / PV / PEN


http://www.tve.com.br/2014/09/tve-promove-serie-de-entrevistas-com-candidatos-ao-governo-do-rs/

http://www.tve.com.br/


Sintonize

Como Sintonizar a TVE


ANA AMÉLIA VOTOU CONTRA POLÍTICA DE VALORIZAÇÃO SALÁRIO-MÍNIMO

ANA AMÉLIA VOTOU CONTRA POLÍTICA DE VALORIZAÇÃO SALÁRIO-MÍNIMO

Published setembro 30, 2014 Uncategorized Comment 
Tags:

Candidata da RBS ao governo do Rio Grande do Sul, a senadora CC Fantasma Ana Amélia Lemos mostrou de que lado está logo que chegou ao Senado. Em sua primeira votação naquela Casa, a latifundiária gaúcha/goiana declarou-se frontalmente contrária aos interesses da classe trabalhadora, votando contra o PLC 01/2011, na sessão do dia 23 de fevereiro. O projeto deu origem à Lei Federal 12.382/2011, que definiu atual política de valorização do salário-mínimo.

Originalmente publicado pelo CLOACA NEWS

VOTAÇÃO SALÁRIO MÍNIMO

Clique aqui para ver as notas taquigráficas da Sessão Deliberativa de 23/02/2011, no Senado.


http://luizmullerpt.wordpress.com/2014/09/30/ana-amelia-votou-contra-politica-de-valorizacao-salario-minimo/


TSE suspende propaganda de Marina por ofensa à Dilma e ao PT


setembro 30, 2014 10:36

TSE suspende propaganda de Marina por ofensa à Dilma e ao PT

 
 

Coligação de Marina Silva afirmou que base aliada de Dilma seria financiada por corrupção na Petrobras. O ministro Herman Benjamin, do TSE, entendeu que houve excessos e determinou suspensão de parte da propaganda eleitoral, sob pena de multa

Por Redação

Ontem (29), o ministro Herman Benjamin, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), deferiu uma liminar para a suspensão de parte da propaganda eleitoral da candidata Marina Silva (PSB) no rádio. O ministro entendeu que houve veiculação de conteúdo ofensivo, conforme denunciado pela coligação Com a Força do Povo, da também candidata à presidência Dilma Rousseff (PT).

No dia 25 de setembro, a propaganda da ex-senadora afirmou que o suposto esquema de corrupção na Petrobras financiaria a base aliada de Dilma e citou o depoimento de delação premiada do ex-diretor da estatal Paulo Roberto Costa. O programa afirmou, ainda, que a presidenta foi chamada a responder perante o Tribunal de Contas da União pelo prejuízo causado pela negociação envolvendo a refinaria de Pasadena, já que ela fazia parte do Conselho de Administração da Petrobras à época. Na representação enviada pela coligação de Dilma Rousseff, foi dito que os adversários não se limitaram a tecer críticas de natureza política, mas buscaram veicular informação inverídica em prejuízo à honra e à imagem da candidata, atribuindo-lhe uma responsabilidade inexistente.

De acordo com a interpretação do ministro do TSE, a coligação Unidos pelo Brasil ofendeu o PT e a candidata à reeleição e terá que suspender a propaganda, sob pena de multa. "No caso específico parece, em primeira análise, haver realmente excesso, porque se afirma, de maneira categórica e sem atribuição de fonte, algo que não é de conhecimento público, já que depoimentos na delação premiada em questão ainda permanecem sob sigilo", declarou Herman Benjamin.

Foto: Reprodução


http://www.revistaforum.com.br/blog/2014/09/tse-suspende-propaganda-de-marina-por-ofensa-dilma-e-ao-pt/


O Rio Grande do Sul merece a eleição de Tarso e Olívio

O Rio Grande do Sul merece a eleição de Tarso e Olívio - Carta Maior 

LULA: 'ESSA É A SEMANA DA MENTIRA NA IMPRENSA'

LULA: 'ESSA É A SEMANA DA MENTIRA NA IMPRENSA'

STUCKERT:

"Essa semana agora é a semana das mentiras. Vocês vão ver quantas mentiras vão ser contadas na imprensa. Vocês não têm que acreditar porque todas as vezes que aparece um candidato que tenta fazer as coisas para o povo mais humilde, ele é achincalhado pela elite brasileira que não quer que a gente faça", afirmou o ex-presidente Lula, em ato do PT em São Paulo, ao lado da presidente Dilma Rousseff e do candidato petista ao governo do Estado, Alexandre Padilha; ele também rechaçou as comparações com a presidenciável Marina Silva (PSB): "Quando escolhi a Dilma foi pela competência"

30 DE SETEMBRO DE 2014 ÀS 05:05

247 – Durante ato do PT em São Paulo, ao lado da presidente Dilma Rousseff e do candidato petista ao governo do Estado, Alexandre Padilha, o ex-presidente Lula fez um alerta aos eleitores:

"Essa semana agora é a semana das mentiras. Vocês vão ver quantas mentiras vão ser contadas na imprensa. Vocês não têm que acreditar porque todas as vezes que aparece um candidato que tenta fazer as coisas para o povo mais humilde, ele é achincalhado pela elite brasileira que não quer que a gente faça", afirmou.

Acompanhado por uma plateia de cerca de 10 mil militantes, ele também rechaçou as comparações com a presidenciável Marina Silva (PSB), que foi ministra do Meio Ambiente durante o seu governo.

"As pessoas dizem que a Marina é tão parecida com o Lula, tão amiga do Lula, é fundadora do PT e por que o Lula não está apoiando ela? Eu estou apoiando a Dilma e fiz a Dilma minha sucessora porque é como chamar alguém para ser padrinho dos nossos filhos. Quando vai escolher padrinho é alguém que na nossa ausência essa pessoa possa tomar conta dos nossos filhos. Quando escolhi a Dilma foi pela competência", completou.



A vida parlamentar da senadora Ana Amélia

30/set/2014, 10h17min

A vida parlamentar da senadora Ana Amélia (por Luiz Afonso Franz)

A Senadora Ana Amélia de Lemos – sim, o de existe na grafia oficial de seu nome no Senado Federal – é uma parlamentar extremamente ativa.

O site do Senado, muito bem feito e organizado, mantém a página da senadora atualizada e aberta a consultas.

E lá se comprova com facilidade todo o seu trabalho.

São 473 registros em menos de quatro anos de mandato. Não é pouca coisa, tem muito senador veterano que não chega nem perto.

Só projetos de lei a senadora Ana Amélia apresentou 57, um número altíssimo.

E o que aconteceu com todas estas propostas de legislação?

Bem, não muito.

55 dos seus projetos continuam andando pelas gavetas e computadores do Senado, em vários estágios de tramitação: aguardando leitura, aguardando designação de relator, aguardando inclusão na ordem do dia e outras variantes da mesma coisa.

Um deles, infelizmente, foi rejeitado. Era uma coisa estranha, que tratava do pós-venda de concessionárias de veículos e demandava que cada concessionária tivesse em estoque quatro carros para venda pela internet. Sabe-se lá para que e para quem servia, mas bailou.

Sobrou um Projeto de Lei do Senado aprovado. Maravilha, o resultado de quatro anos de trabalho.

Eis, senhoras e senhores, o PLS de Ana Amélia que conseguiu aprovação:

SF PLS 1/2012 de 06/02/2012

Ementa: Denomina "Rodovia José Pereira Alvarez" o trecho da rodovia BR-287 entre as cidades de São Borja e Santiago, no Estado do Rio Grande do Sul.
Autor: Senadora Ana Amélia
Local: 20/05/2014 – SEXP – SECRETARIA DE EXPEDIENTE
Situação: 19/05/2014 – APROVADA

José Pereira Alvarez foi prefeito de São Borja e pecuarista. Coleguinha da senadora, que também cria lá suas cabeças de gado na fazenda em Goiás.

E uma curiosidade: na mesma época, projeto igualzinho foi apresentado na Câmara pelo deputado Luis Carlos Heinze. Sim, aquele mesmo que diz que quilombolas, índios, gays e homossexuais são tudo que não presta. Mas é bom ver assim um trabalho de equipe entre parceiros do mesmo partido.

Então é isso. A senadora de Lemos também fez quatro projetos de decretos legislativos, nove propostas de emenda à constituição e quatro projetos de resolução do Senado. Tudo por lá, tramitando e tramitando.

O site do Senado também nos informa que a senadora é muito atuante na arte de fazer requerimentos. Foram 235 até agora, um número fantástico.

E ao examinar estes requerimentos constata-se que a representante dos gaúchos pegou gosto por viajar. Foram 19 viagens entre outubro de 2011 e abril de 2014. No total, ela licenciou-se do Senado para estes périplos por longos 74 dias.

Veja para onde ela foi, a partir dos requerimentos da senadora à casa:

Requer, nos termos do art. 40, combinado com o art. 13 do Regimento Interno do Senado Federal, com a redação dada pela Resolução nº 37, de 1995, que seja considerada como desempenho de missão no exterior, sua participação, nos dias 7 e 8 de abril de 2014, na Sessão Especial para a Modificação do Regimento Interno do Parlamento do Mercosul, a realizar-se em Montevidéu, Uruguai. Para efeito do disposto no art. 39, do Regimento Interno do Senado Federal, comunica que estará ausente do País no período de 6 a 8 de abril de 2014.

Requer, nos termos do art. 40, combinado com o art. 13, do Regimento Interno do Senado Federal, com a redação dada pela Resolução nº 37, de 1995, seja considerada como desempenho de missão no exterior sua participação, nos dias 14 a 16 de abril de 2014, no Encontro Parlamentar por ocasião da Reunião de Alto Nível da Aliança Mundial de Cooperação Eficaz para o Desenvolvimento, e comunica, nos termos do art. 39 do referido Regimento, que estará ausente do País no período de 13 a 16 de abril de 2014.

Requer, nos termos do art. 40, combinado com o art. 13, ambos do Regimento Interno do Senado Federal, com a redação dada pela Resolução nº 37, de 1995, seja considerada como desempenho de missão no exterior a sua participação, entre os dias 27 e 29 de abril de 2014, na Reunião da Comissão de Infraestrutura, Transporte, Recursos Energéticos, Agricultura, Pecuária e Pesca do Parlamento do Mercosul, a realizar-se em Buenos Aires, Argentina; e comunica, nos termos do art. 39, do referido Regimento, sua ausência do País nesse período.

Requer, nos termos do art. 40, combinado com o art. 13 do RISF, e em aditamento ao Requerimento nº 1.225, de 2013, que seja considerada como desempenho de missão no exterior, por designação do Presidente do Senado Federal, a participação de S. Exª na Audiência Parlamentar Anual da União Interparlamentar nas Nações Unidas, entre os dias 13 e 16 de novembro de 2013, em Nova York, nos Estados Unidos.

Requer, nos termos do art. 40, combinado com o art. 13 do Regimento Interno do Senado Federal, com a redação dada pela Resolução nº 37, de 1995, que seja considerada como desempenho de missão no exterior, por designação do Presidente do Senado Federal, Renan Calheiros, sua viagem para a República da Croácia, no período de 1º a 5 de março de 2014. Para efeito do disposto no art. 39, comunica que estará ausente do País no periodo de 1º a 6 de março de 2014.

Requer, nos termos dos artigos 13 e 40 do Regimento Interno do Senado Federal, com a redação dada pela Resolução nº 37, de 1995, que seja considerada como desempenho de missão no exterior, por designação do Presidente do Senado Federal, sua participação na 129ª Assembleia da União Interparlamentar, a realizar-se dias 06 a 09 de outubro de 2013, em Genebra, na Suiça. Comunica, ainda, nos termos do art. 39, do Regimento Interno do Senado Federal, que estará ausente do País no período de 05 a 10 de outubro de 2013.

Requer, nos termos do art. 40, combinado com o art. 13, ambos do Regimento Interno do Senado Federal, com a redação dada pela Resolução nº 37, de 1995, autorização para participar da Audiência Parlamentar Anual da União Interparlamentar nas Nações Unidas, a realizar-se nos dias 14 e 15 de novembro de 2013, em Nova York. Para efeito no disposto no art. 39, comunica que estará ausente do País no período de 13 a 16 de novembro de 2013.

Requer, nos termos do art. 40 do Regimento Interno do Senado Federal, seja considerada como desempenho de missão no exterior sua participação na 128ª Assembleia da União Interparlamentar, a realizar-se em Quito, Equador, no período de 21 a 24 de março de 2013, e comunica, para efeito do disposto no art. 39 de referido Regimento, que estará ausente do País no período de 20 a 25 de março de 2013.

Requer, nos termos do art. 40, do Regimento Interno do Senado Federal, seja considerada como desempenho de missão no exterior a participação na Reunião de Mulheres Parlamentares, a convite da Agência Americana para o Desenvolvimento Internacional (USAID), a realizar-se dias 18 e 19 de novembro de 2013, em Washington, nos Estados Unidos. Comunica, ainda, conforme disposto no art. 39, do Regimento Interno do Senado Federal, que estará ausente do País no período de 17 a 20 de novembro de 2013.

Requer que a licença dos trabalhos da Casa aprovada por meio do Requerimento nº 1229, de 2013 seja modificada para o período de 2 a 3 de dezembro de 2013, em virtude do adiamento das reuniões da Mesa Diretiva do Mercosul, que realizariam em 11 e 12 de novembro. Comunica, ainda, que estará ausente do País entre os dias 1º e 4 de dezembro do corrente.

Requer, nos termos do art. 40 do Regimento Interno do Senado Federal, com a redação dada pela Resolução n° 37, de 1995, que seja considerada como de missão no exterior a participação em reuniões com parlamentares no Parlamento Chileno, a realizarem-se nas cidades de Valparaíso e Santiago, no período de 4 a 8 de maio de 2013. Comunica, ainda, conforme o disposto no art. 39, inciso I, do Regimento Interno do Senado Federal, ausência do País no período de 4 a 8 de maio de 2013.

Requer, nos termos do artigo 40 do Regimento Interno do Senado Federal, com a redação dada pela Resolução nº 37, de 1995, que seja considerada como desempenho de missão no exterior a sua participação, como representante da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado Federal, na Cerimônia de Posse do Presidente da República do Paraguai, Horacio Manuel Cartes Jara, no dia 15 de agosto de 2013, em Assunção. Comunica ainda, para efeito dos disposto no artigo 39, inciso I, do Regimento Interno do Senado Federal, que estará ausente do País no período de 14 a 16 de agosto de 2013.

Requer, nos termos do art. 40, combinado com o art. 13, do Regimento Interno do Senado Federal, com a redação dada pela Resolução nº 37, de 1995, seja considerada como desempenho de missão no exterior sua participação, no dia 23 de abril de 2012, da sessão especial para a posse dos novos parlamentares argentinos e da sessão preparatória para a votação das mudanças no Regimento Interno do Parlamento do Mercosul, a realizar-se em Montevidéu, Uruguai, e comunica, nos termos do art. 39 daquele Regimento, que estará ausente do País no período de 22 a 24 de abril de 2012.

Requer, nos termos do art. 40, combinado com o art. 13, do Regimento Interno do Senado Federal, com a redação dada pela Resolução nº 37, de 1995, seja considerada como desempenho de missão no exterior sua participação, no dia 2 de julho de 2012, na XXVIII Sessão Ordinária do Parlamento do Mercosul, a realizar-se em Montevidéu, Uruguai, e informa, para efeito do disposto no art. 39 do referido Regimento, que estará ausente do País nos dias 1º e 2 de julho de 2012.

Requer, nos termos do art 40, combinado com o art. 13 do RISF, com a redação dada pela Resolução nº 37/1995, que seja considerada como desempenho de missão no exterior a participação da requerente, por designação do Presidente do Senado Federal, José Sarney, nos dias 25 a 27 de novembro do corrente, do evento "La agenda de los derechos en transformación, buenas practicas y contribuciones le las mujeres en los Parlamentos ", organizado pelo Parlamento Latino-Americano, juntamente com entidades da ONU e o Grupo Parlamentar Latino-Americano sobre População e Desenvolvimento, a realizar-se da Cidade do Panamá, Panamá. Para efeito do disposto no art. 39, comunica que estará ausente do País no período de 24 a 27 de novembro de 2012.

Requer, nos termos do art. 40, combinado com o art. 13, do Regimento Interno do Senado Federal, com a redação dada pela Resolução nº 37, de 1995, seja considerada como desempenho de missão no exterior sua participação, na qualidade de observadora parlamentar, do encontro da União Interparlamentar e da ONU, a realizar-se nos dias 6 e 7 de dezembro de 2012, na cidade de Nova Iorque, EUA, e comunica, nos termos do art. 39 do referido Regimento, que estará ausente do País 5 a 9 de dezembro de 2012.

Requer, nos termos do art. 40, combinado com o art. 13, do Regimento Interno do Senado Federal, com a redação dada pela Resolução nº 37, de 1995, seja considerada como desempenho de missão no exterior sua participação, nos dias 24 e 25 de outubro de 2011, no VII Foro Parlamentar Ibero-Americano, a realizar-se em Assunção, Paraguai, e comunica, nos termos do art. 39 do referido Regimento, que estará ausente do País no citado período.

Requer, nos termos do art. 40, combinado com o art. 13, do Regimento Interno do Senado Federal, com a redação dada pela Resolução nº 37, de 1995, que seja considerada como desempenho de missão no exterior a participação da requerente, nos dias 31 de outubro e 1º de novembro de 2011, na Reunião da Mesa Diretora do Parlamento do Mercosul, e reuniões conjuntas, a realizarem-se em Montevidéu, Uruguai. Para efeito do disposto no art. 39, a requerente comunica que estará ausente do País no período de 30 de outubro a 2 de novembro de 2011.

Requer, nos termos do art. 40, combinado com o art. 13, do Regimento Interno do Senado Federal, que seja considerada como desempenho de missão no exterior sua participação, no dia 02 de dezembro de 2011, na XXVIII Sessão Plenária do Parlamento do Mercosul, a realizar-se em Montevidéu, Uruguai. Para efeito do disposto no art. 39 do mesmo regimento, comunica que estará ausente do País no período de 1º a 3 de dezembro de 2011.

Não se alarme, tudo legal. Tudo como missão do Senado. E tudo muito explicadinho. Com motivos para as idas ao exterior. Só uma viagem, que teria sido à Croácia em março deste ano, não tem qualquer explicação. E aparentemente nem aconteceu. 18 viagens, então.

E se você, maldosamente, começar a pensar "Mas não é viagem demais?" temos que admitir nossa ignorância sobre os procedimentos dos senadores. Quem sabe todo mundo tenha o mesmo número de viagens, a coisa é assim mesmo?

É normal comparar então as viagens de Ana Amélia com a de seus companheiros na bancada do Rio Grande no Senado: no mesmo período, Pedro Simon viajou para fora do país uma vez, para reunião do Mercosul em Montevidéu; Paulo Paim foi duas vezes à capital do Uruguai, pelo mesmo motivo. E só.

Viajar é bom, quem não gosta? E ainda mais com tudo pago? Talvez Simon e Paim tenham ojeriza de aeroportos e aviões. Ana Amélia só começou a viajar em outubro de 2011.

Mas desde o início do mandato ela já brandia com maestria a espada dos requerimentos.

Desde o início de seu mandato ela produziu dezenas e dezenas de requerimentos pedindo votos de congratulações a emissoras de rádios, jornais e revistas. São páginas e páginas de requerimentos como estes:

SF RQS 464/2011 de 28/04/2011
Ementa: Requer, nos termos do art. 222 do Regimento Interno do Senado Federal, seja encaminhado voto de congratulações à RÁDIO GUAÍBA AM pelo transcurso dos 54 anos de sua fundação, que ocorrerá no dia 30 de abril de 2011.
Autor: Senadora Ana Amélia
Local: 24/05/2011 – SARQ – Secretaria de Arquivo

SF RQS 485/2011 de 04/05/2011
Ementa: Requer, nos termos do art. 222 do Regimento Interno do Senado Federal, seja encaminhado Voto de Congratulações à RÁDIO COLONIAL AM pelo transcurso dos 56 anos de sua fundação.
Autor: Senadora Ana Amélia
Local: 24/05/2011 – SARQ – Secretaria de Arquivo

SF RQS 486/2011 de 04/05/2011
Ementa: Requer, nos termos do art. 222 do Regimento Interno do Senado Federal, seja encaminhado Voto de Congratulações à RÁDIO DIFUSORA FM pelo transcurso dos 24 anos de sua fundação, em 05 de maio de 2011.
Autor: Senadora Ana Amélia
Local: 24/05/2011 – SARQ – Secretaria de Arquivo

SF RQS 487/2011 de 04/05/2011
Ementa: Requer, nos termos do art. 222 do Regimento Interno do Senado Federal, seja encaminhado Voto de Congratulações à RÁDIO MEDIANEIRA FM pelo transcurso dos 22 anos de sua fundação.
Autor: Senadora Ana Amélia
Local: 24/05/2011 – SARQ – Secretaria de Arquivo

SF RQS 488/2011 de 04/05/2011
Ementa: Requer, nos termos do art. 222 do Regimento Interno do Senado Federal, seja encaminhado Voto de Congratulações à RÁDIO CBN 1340 AM pelo transcurso dos 26 anos de sua fundação, em 05 de maio de 2011.
Autor: Senadora Ana Amélia
Local: 20/05/2011 – SEXP – SECRETARIA DE EXPEDIENTE

SF RQS 489/2011 de 04/05/2011
Ementa: Requer, nos termos do art. 222 do Regimento Interno do Senado Federal, seja encaminhado Voto de Congratulações à RÁDIO POP ROCK BAGÉ 98,1 FM pelo transcurso dos 8 anos de sua fundação.
Autor: Senadora Ana Amélia
Local: 24/05/2011 – SARQ – Secretaria de Arquivo

SF RQS 502/2011 de 05/05/2011
Ementa: Requer, nos termos do art. 222 do Regimento Interno do Senado Federal, Voto de Congratulações à RÁDIO MAIS NOVA FM pelo transcurso dos 4 anos de sua fundação, na cidade de Passo Fundo – RS, que ocorrerá no dia 8 de maio de 2011.

SF RQS 566/2011 de 18/05/2011
Ementa: Requer, nos termos do art. 222 do Regimento Interno do Senado Federal, seja encaminhado Voto de Congratulações à RÁDIO COROADOS FM pelo transcurso dos 22 anos de sua fundação, que ocorrerá no dia 22 de maio de 2011.
Autor: Senadora Ana Amélia
Local: 06/06/2011 – SARQ – Secretaria de Arquivo

SF RQS 576/2011 de 19/05/2011
Ementa: Requer, nos termos do art. 222 do Regimento Interno do Senado Federal, seja encaminhado Voto de Congratulações ao JORNAL DO COMÉRCIO pelo transcurso dos 78 anos de sua fundação.
Autor: Senadora Ana Amélia
Local: 06/06/2011 – SARQ – Secretaria de Arquivo

Os requerimentos entravam aos borbotões, sem preconceitos: bastava ser emissora de rádio ou jornal para merecer o voto de congratulações.

Bobajada, dirão os mal intencionados. Perda de tempo, dirão os mal humorados.

Mas é um excelente trabalho de RP com a mídia.

Outra parte relevante dos requerimentos da senadora é dedicada aos votos de pesar. São muitos. E aí, um alento parta o leitor: se você morrer e tiver alguma notoriedade, há chance de que seja imortalizado nos anais do Senado através de um voto de pesar de Ana Amélia.

Uma coisa é certa: Ana Amélia foi muito rápida em ocupar um espaço no Senado. Sua fama, como senadora iniciante, foi construída com eficácia e velocidade. Talvez tenha lhe sido útil o período em que foi CC do então companheiro e senador biônico Octávio Cardoso. Pode ter sido um salariozinho, como diz a senadora, mas também pode ter sido sua iniciação ao Senado.

Ela também andou em comissões, fez pronunciamentos, liderou a bancada do PP, votou várias vezes sim e várias vezes não. Foram quatro anos de azáfama, muito Senado, muito aeroporto, muito avião, muito projeto e muito requerimento.

E de agora em diante? O que os gaúchos – e principalmente os 3.401.241eleitores que votaram nela em 2010 – podem esperar dos quatro próximos anos de mandato da senadora?

É licito acreditar que, mais experiente, ela incremente seus resultados. Mais emissoras de rádio e jornais homenageados. Mais votos de pesar. Mais viagens, talvez, para lugares diferentes e interessantes.

E mais projetos aprovados, certamente. Até 2018, é razoável esperar que pelo menos dois – ou até três – ruralistas sejam homenageados com seus nomes em trechos de rodovias.

Luiz Afonso Franz é jornalista e blogueiro interessado em curiosidades.

http://www.sul21.com.br/jornal/111a-vida-parlamentar-da-senadora-ana-amelia-por-luiz-afonso-franz/


Cancion con todos

Salgo a caminar
Por la cintura cosmica del sur
Piso en la region
Mas vegetal del viento y de la luz
Siento al caminar
Toda la piel de america en mi piel
Y anda en mi sangre un rio
Que libera en mi voz su caudal.

Sol de alto peru
Rostro bolivia estaño y soledad
Un verde brasil
Besa mi chile cobre y mineral
Subo desde el sur
Hacia la entraña america y total
Pura raiz de un grito
Destinado a crecer y a estallar.

Todas las voces todas
Todas las manos todas
Toda la sangre puede
Ser cancion en el viento
Canta conmigo canta
Hermano americano
Libera tu esperanza
Con un grito en la voz