Páginas

pergunta:

"Até quando vamos ter que agüentar a apropriação da idéia de 'liberdade de imprensa', de 'liberdade de expressão', pelos proprietários da grande mídia mercantil – os Frias, os Marinhos, os Mesquitas, os Civitas -, que as definem como sua liberdade de dizer o que acham e de designar quem ocupa os espaços escritos, falados e vistos, para reproduzir o mesmo discurso, o pensamento único dos monopólios privados?"

Emir Sader

24.3.15

Nota de esclarecimento e repúdio do Centro de Defesa dos Direitos Humanos de Petrópolis contra a falsa acusação de benefício indevido do Governo Federal

Nota de esclarecimento e repúdio do Centro de Defesa dos Direitos Humanos de Petrópolis contra a falsa acusação de benefício indevido do Governo Federal

22/03/2015

Correu pelas redes sociais uma  falsa afirmação  de que o Centro de Defesa do Direitos Humanos de Petrópolis,do qual sou presidente honorário (sem qualquer remuneração ) teria sido de forma corrupta beneficiado pelo governo federal  do PT. O CDDH desenvolvia, em nome do Governo, desde os tempos de Fernando Henrique Cardoso, um atividade altamente  perigosa pelo convênio PROVITA. O programa era "A proteção a vítimas e a testemunhas ameaçadas"  escondendo-as  com todas as suas familias, tendo que enviá-las, por vezes,  a outros estados para escapar da perseguição dos que queriam eliminá-las. Trago aqui o testemunho da coordenadora do projeto a partir da Secretaria dos Direitos Humanos da Presidência da República: "Amigo Leonardo Boff e demais do Centro de Defesa dos Direitos Humanos de Petrópolis. Tenho plena confiança e certeza da ética com que vocês desenvolvem o trabalho. E, mais do que isso, sou testemunha do quanto o convênio
para o PROVITA desestabilizou o Centro, pois buscar solução para essa
situação era uma das minhas responsabilidades como Secretaria Nacional
na SDH da Presidência: Abraços  Salete

Em 18 de março de 2015 17:54, Centro de Defesa dos Direitos Humanos
<cddh@cddh.org.br> escreveu:

NOTA DE ESCLARECIMENTO E REPÚDIO

O Centro de Defesa dos Direitos Humanos de Petrópolis foi criado em novembro
de 1979 tendo entre seus fundadores Leonardo Boff, que atualmente é
diretor-presidente da instituição. Dentre os diversos projetos
desenvolvidos pela instituição desde a sua criação, o CDDH realizou a
execução do Programa de Proteção a Vítimas e Testemunhas Ameaçadas do Estado
do Rio de Janeiro (PROVITA/RJ), em convênio com o governo do Estado do Rio
de Janeiro e este conveniando com o Governo Federal, de maio de 2002 até
maio de 2014 abarcando governos do PSDB e PT. Por conta da natureza do
Programa e suas necessidades, o volume financeiro dos convênios resulta em
um montante considerável (mais ainda abaixo de muitos estados que se
preocupam com investimento nesta política).

Este convênio, com o Governo do Estado do Rio de Janeiro, saiu da execução
da instituição em maio do ano de 2014 deixando uma dívida de R$ 167.997,29,
que está sendo negociada por meio de um Termo de Ajuste de Contas por
despesas contraídas para a garantia da vida dos usuários e beneficiários do
Programa. Todas as atividades do PROVITA/RJ são orientadas e fiscalizadas
pelo CONDEL – Conselho Deliberativo do Programa e todos os documentos de
prestação de contas de TODOS os convênios institucionais estão em dia com os
financiadores da instituição, sejam governamentais ou não.

Para a execução dos projetos, desde a sua fundação, o CDDH conta com a
parceria financeira prioritária da cooperação internacional e de parceiros
históricos. Com a crise europeia dos últimos anos e a priorização de
recursos destes parceiros para atendimento a outros países, a instituição
passou a buscar recursos locais, concorrendo a editais, possibilidades de
financiamento e apresentando os projetos a instituições privadas, fundações
e empresas de economia mista. O financiamento da Petrobras, para a
efetivação do projeto ArticulAção, voltado para jovens moradores de
comunidades periféricas da cidade de Petrópolis, foi iniciado em fevereiro
de 2014 e desde então, a organização recebeu apenas a primeira parcela do
contrato, estando em constante acompanhamento pela equipe de monitoramento
desta estatal.

O CDDH-Petrópolis, para manutenção de seu título de Utilidade Pública
Federal, mantém transparência de todos os seus repasses e gastos com
projetos.

Leonardo Boff, assim como os outros membros da diretoria da Instituição, são
voluntários e, no caso deste, sua contribuição mais valiosa é a dedicação de
seu tempo de modo militante em favor dos pobres e desfavorecidos atendidos
pelo CDDH e por outras instituições e movimentos de Direitos Humanos,
chamando atenção para este debate.

Salientamos a importância de esclarecer as notas que tentam criminalizar,
sem provas, os movimentos sociais e que colocam em risco o trabalho social e
político desenvolvido em favor dos excluídos. Infelizmente estas falas
soltas, sem qualquer averiguação, objetivam provocar o enfraquecimento da
luta por direitos humanos.

Carla de Carvalho / Rafael Coelho Rodrigues
Coordenação Executiva – CDDH-Petrópolis






Nenhum comentário:

Cancion con todos

Salgo a caminar
Por la cintura cosmica del sur
Piso en la region
Mas vegetal del viento y de la luz
Siento al caminar
Toda la piel de america en mi piel
Y anda en mi sangre un rio
Que libera en mi voz su caudal.

Sol de alto peru
Rostro bolivia estaño y soledad
Un verde brasil
Besa mi chile cobre y mineral
Subo desde el sur
Hacia la entraña america y total
Pura raiz de un grito
Destinado a crecer y a estallar.

Todas las voces todas
Todas las manos todas
Toda la sangre puede
Ser cancion en el viento
Canta conmigo canta
Hermano americano
Libera tu esperanza
Con un grito en la voz