Páginas

pergunta:

"Até quando vamos ter que agüentar a apropriação da idéia de 'liberdade de imprensa', de 'liberdade de expressão', pelos proprietários da grande mídia mercantil – os Frias, os Marinhos, os Mesquitas, os Civitas -, que as definem como sua liberdade de dizer o que acham e de designar quem ocupa os espaços escritos, falados e vistos, para reproduzir o mesmo discurso, o pensamento único dos monopólios privados?"

Emir Sader

20.6.17

Uma gangue deu o golpe, assalta o Estado e o coloca a serviço do 1% mais rico

BRASIL DE EXCLUÍDOS

Uma gangue deu o golpe, assalta o Estado e o coloca a serviço do 1% mais rico

O modelo neoliberal trabalha ativa e conscientemente para neutralizar a ação do Estado e deixar que as regras do mercado se imponham de forma selvagem sobre o pais e sobre a população
por Emir Sader, para a RBA publicado 19/06/2017 10h53, última modificação 19/06/2017 11h28
FACEBOOK/VITOR TEIXEIRA
michel temer.jpg

Governo Temer vira as costas para maioria da população

Um contingente de 14 milhões de desempregados, que podem representar cerca de 60 milhões de pessoas, se contamos os dependentes. E os que perdem suas casas – especialmente os do programa Minha Casa Minha Vida, mas todos em geral –, por não poder continuar pagando suas prestações. E os que se mudam para a casa de parentes, porque não conseguem pagar aluguel. E os que vão diretamente morar nas ruas, sem capacidade de ter um lugar próprio para morar. E os que perdem o Bolsa Família e ficam sem os recursos mínimos para comer todos os dias, para dar leite para os filhos. E os que trabalham sem careira assinada, precarizados. E os que trabalham com medo de perder o emprego. E os que aceitam trabalhar em quaisquer condições. E os que têm os salários atrasados e não sabem quando vão receber. Os que acumulam dividas. Mais os que não puderam seguir a universidade, os que não puderam continuar na escola técnica. Somados a todos os que perderam a esperança, os que perderam a confiança no Brasil, na democracia, na força do povo para manter seus direitos. Aos que têm medo do presente e do futuro. E aos que temem pela ameaças aos seus direitos. 

Um Estado que protege os interesses do 1% mais rico e vira as costas para a grande maioria da população, deixa o povo desprotegido. Tira os seus direitos, antes de tudo o direito a um emprego, e o impede de lutar, de se organizar, de protestar. Joga a maioria dos trabalhadores no desamparo. Ao criar uma enorme massa de desempregados, enfraquece a capacidade dos trabalhadores e dos seus sindicatos, de defender seus direitos. Pressiona para que os trabalhadores aceitem ganhar menos com a chantagem do risco da perda do emprego.

É um Estado que abandona os brasileiros para se situar do lado dos ricos. Que protege os investimentos, os favorece, os privilegia, sem se importar se produzem bens e empregos. Que compra lá fora em lugar de incentivar a produção e o emprego aqui, que escancara o mercado interno aos gringos, que vende patrimônio nacional a preço de banana para empresas estrangeiras. Que reduz impostos dos ricos, fecha os olhos para a sonegação, mas cobra rigorosamente impostos dos trabalhadores e da massa da população. Que tira recursos da educação e da saúde, mas preserva os privilégios de todos os que ganham mais, no serviço público antes de tudo.

Uma gangue deu o golpe, assaltou o Estado e o colocou a seu serviço. Blinda os banqueiros que dirigem a economia, barganha com os ladrões que colocaram no Congresso com o dinheiro das grandes empresas privadas, intensificando a exploração dos trabalhadores e elevando seus superlucros.

O modelo neoliberal trabalha ativa e conscientemente para isso. Para neutralizar a ação do Estado e deixar que as regras do mercado se imponham de forma selvagem sobre o pais e sobre a população.

E quem defende o povo, se o Estado age sistematicamente contra ele e desarma suas formas de resistência? Quem defende e ampara o desempregados? Como se garante o direito humano inalienável ao trabalho? Como se protegem as pessoas contra a pior situação de todas, o abandono?

A diferença entre um governo que cuida das pessoas e um governo que cuida do mercado é abismal. Um cuidas das pessoas, dos seus direitos, do seu bem-estar. O outro cuida do capital, do dinheiro dos ricos, das suas fortunas.

Numa democracia, o Estado garante o direito das pessoas. Os governantes são eleitos para defender os interesses da maioria.

Num golpe, esses direitos são expropriados do povo e concentrados nas mãos dos golpistas e das elites a serviço de quem está o governo. Multiplicam o desemprego para desvalorizar o poder de negociação dos trabalhadores. Liberam a especulação financeira. Escancaram o país para o capital estrangeiro.

O povo brasileiro precisa urgentemente da democracia, não somente para recuperar sua liberdade política, mas também reaver seus direitos sociais e se defender do sofrimento e do desamparo a que o golpe o condena.


http://www.redebrasilatual.com.br/blogs/blog-na-rede/2017/06/uma-gangue-deu-golpe-coloca-estado-servico-1-mais-rico

...


Uma gangue deu o golpe, assalta o Estado e o coloca a serviço do 1% mais rico 

http://www.carosamigos.com.br/index.php/artigos-e-debates/10124-uma-gangue-deu-o-golpe-assalta-o-estado-e-o-coloca-a-servico-do-1-mais-rico



Nenhum comentário:

Cancion con todos

Salgo a caminar
Por la cintura cosmica del sur
Piso en la region
Mas vegetal del viento y de la luz
Siento al caminar
Toda la piel de america en mi piel
Y anda en mi sangre un rio
Que libera en mi voz su caudal.

Sol de alto peru
Rostro bolivia estaño y soledad
Un verde brasil
Besa mi chile cobre y mineral
Subo desde el sur
Hacia la entraña america y total
Pura raiz de un grito
Destinado a crecer y a estallar.

Todas las voces todas
Todas las manos todas
Toda la sangre puede
Ser cancion en el viento
Canta conmigo canta
Hermano americano
Libera tu esperanza
Con un grito en la voz